dicas da Linda

Como surgiu a tesoura

Publicado em 26/09/2016 às 09h58
Comentários (0)

Quais as roupas masculinas básicas

Publicado em 26/09/2016 às 09h54

Oficina de Costura da Vila Leopoldina vai falar hoje sobre o Guarda-roupas básico masculino, como escolher as peças e como realizar pequenos ajustes feitos, é claro, pelas nossas costureiras especializadas em consertos, customização e manutenção de peças de costura.

 

Por vezes não existe nem tempo, nem disponibilidade, a um homem, para que ele tenha a capacidade de perceber o que é fundamental num guarda-roupa básico, prático e com estilo. É realmente necessário começar pelo básico: analise o seu guarda-roupas e verifique se realmente tem o que necessita. Depois de verificar o que já tem, pegue na lista seguinte e vá às compras. Dependendo de cada peça de roupa, deverá sempre de a ajustar ao seu tipo de corpo. Caso o ajuste não seja perfeito traga até a Oficina de Costura Leopoldina e nossas costureiras ajustarão a costura a seu corpo.

O homem deve se vestir de acordo com sua idade sem parecer velho demais ou excessivamente jovem, não que isso seja reeprensivel mas as vezes não é adequado.

E afinal o que é que qualquer homem necessita no seu guarda-roupa atemporal? Que peças são essas que depois de as comprar não mais necessitará de se preocupar em ir às compras durante muito tempo? E no que é que qualquer homem deverá investir para ter como peças de roupa básicas no seu guarda roupas para parecer alguém com estilo?  

1. Camisa Branca Clássica

camisa e costura

Uma boa camisa branca é essencial a um guarda-roupa com estilo. Opte por uma camisa bem branca e de boa qualidade, de preferência de algodão com alguma percentagem de elastano para dar conforto; e acima de tudo que não seja transparente!, não há nada pior que uma camisa transparente num homem. Esta camisa branca deve ser simples, sem detalhes, e de preferência sem bolsos ou botões nos colarinhos. Porém, se gostar de usar botões de punho compre com essa opção. Uma camisa branca é um dos elementos do guarda-roupa de um homem mais versátil, pois pode ser usada com um paletó em entrevistas de trabalho, em eventos, apenas com uns jeans, ou com calças caqui para um evento descontraído.

2. Jeans Azuis-Escuros

costura nos jeans

É importante que opte por uns jeans de cor escura para serem multifacetados: devem funcionar para uma ocasião mais casual, quer para uma menos casual. Uns jeans devem resultar bem com uma camisa por dentro ou por fora e devem ser de cintura média. 

3. Camisola Com Decote Em V

blusa vila leopoldina

Uma blusa em lã leve ou em caxemira é um elemento essencial. Serve para usar por cima de uma camisa ou como alternativa a um casaco num dia menos frio. É um item elegante e que pode ser usado apenas com uma t-shirt por baixo e uns jeans numa ocasião menos formal. Se for coordenada com umas calças caqui pode ser usada num dia de trabalho menos formal. Este tipo de blusa é muito prático e serve para usar em todas as estações do ano.

4. Calças Clássicas De Lã Fina Sem Pregas

costura e as calças

Umas calças clássicas são essenciais. A cor destas calças pode ser o básico preto, mas se pretende algo menos evidente, escolha umas cinza ou castanhas, pois não são tão óbvias, mas mantêm uma grande versatilidade. Umas calças clássicas de lã fina são ótimas para qualquer ocasião, servem de substituto a um fato se usadas com um blazer ou podem ser usadas apenas com uma camisa ou camisola de decote em V. Opte sempre por umas calças sem pregas na frente pois as calças com pregas, para além de serem péssimas em termos estéticos, já estão completamente out.

Saiba que quaisquer calças não devem ficar nem muito curtas, nem muito compridas: ao fazer a barra na Oficina de Costura Vila Leopoldina, calce uns sapatos, e verifique o comprimento das calças na parte de trás, pois este deve estar a um dedo (na horizontal) do chão. As barras italianas estão caindo em desuso, evite este tipo de costura.

5. Blazer

costura de blazer

 

 

Um blazer de 2 ou 3 botões é outro elemento essencial, preferencialmente de 2 botões pois os de 3 botões já estão saindo de moda. Se puder ser em concordância com as calças de lã leve, ótimo, porque desta forma formará um fato necessário a ocasiões mais formais, como reuniões de trabalho. Poderá usar o blazer com jeans e uma camisa branca para um look mais descontraído, mas mesmo assim ainda com um toque formal, sendo um look ideal para um jantar ou uma saída à noite. Opte por um blazer simples, sóbrio, de apenas uma cor só, como o cinza ou o castanho. Quanto mais subtil for o blazer, com mais estilo e versatilidade pode contar. Esqueça os casacos transpassados, opte por uma única fila de botões.  Quando se sentar deverá desabotoar todos os botões.

6. Costume

como ajustar um terno

 A cor mais versátil para um costume básico é o cinza ou o azul, por isso ter um costume, de preferência em lã leve, que seja prático para todas as estações é o ideal. Opte por um bem simples para garantir a máxima sobriedade e versatilidade. Este costume deve poder ser usado num entrevista de trabalho ou num casamento. Se o costume que gostar tiver algum tipo de padrão, como riscas ou algum detalhe, esse tipo de padrão não deve ser memorável, ou seja não deverá de ser algo que quem o vê, se recorde da próxima vez que olhar para si. O casaco do costume deverá de ser apenas de 2 ou 3 botões, e as calças sem pregas, uma dica da Oficina de Costura Leopoldina, muito cuidado com o ajuste das mangas e o acinturado do paletó, qualquer dúvida traga a peça até nós e nossas costureiras irão fazer o melhor trabalho de costura.

7. Polos De Cores Básicas

costura camisas polo

Os polos são fabulosos e atemporais. Há 20 anos usavam-se polos e hoje continuam-se a usar e daqui a 10 anos provavelmente ainda se usarão. Opte por polos de 3 cores básicas como: azul, preto e outra cor que lhe fique bem. O polo preto será ótimo para usar com uns jeans num jantar mais casual, podem ser usados com as calças caqui para o trabalho…

8. Calças Caqui Ou Chinos Sem Pregas

barras em calças

Esqueça as calças com pregas na cinta, opte por umas calças caqui de cor neutra, pois são calças atemporais e ficam bem a qualquer homem. São súper versáteis e apropriadas para a maioria das situações que não requerem muita formalidade. As cores ideais são o bege, camel, castanho, azul, enfim uma cor neutra que não compita com outro tipo de peças nem que passe rapidamente de moda. Vestir umas calças caqui com um blazer e um polo, ou com uma camisa é uma opção consensual e atemporal. Este tipo de calças, mesmo que usadas com apenas uma t-shirt branca num ambiente descontraído são ideais. Para fazer as suas barras procure a nossa Oficina de Costura na Vila Leopoldina com nossas costureiras.

9. Sapatos Pretos mocassins

oficina de costura vila leopoldina

Em termos de sapatos, a melhor compra vai para uns mocassins (sapatos sem cordão). São práticos, confortáveis e fáceis de calçar e muito usáveis em inúmeras ocasiões. Porém, em ocasiões mais formais, devem ser trocados por uns com cordões, como no caso de um casamento, ou de um momento muito formal; mas, quer seja para trabalhar, quer seja para um momento mais casual, este tipo de sapatos são os ideais.

10. Ténis Básicos  

Oficina de Costura Vila Leopoldina

Para usar com jeans ou em ocasiões menos formais, uns ténis atemporais de couro são ideais. Tem um aspecto moderno, mas ao mesmo tempo mantém um estilo casual-chic. Podem ser pretos, mas optar por uns azuis ou castanhos para variar e marcar mais o look também é perfeitamente aceitável.

11. Casaco de couro

Costura Vila Leopoldina

Um casaco de pele é ótimo para demarcar um look masculino e ao mesmo tempo moderno. Serve para usar com uns jeans e uma camisa branca para uma situação casual, e com umas calças caqui  para trabalhar ou para um almoço menos formal. Opte por uma cor sóbria como o preto ou castanho, para que não se canse da peça. Opte por um casaco em pele de meia estação, que seja de pele fina, e que não o faça parecer inchado. O comprimento ideal para este tipo de casaco é um que fique a meio caminho entre a parte mais larga da anca e a cintura. Opte também por um sem chumaços ou sem grandes detalhes, de preferência com apenas um simples fecho na frente e sem bolsos, pois os bolsos com o tempo tendem a deformar-se e a dar ao casaco um aspeto desmazelado.

12. Cinto De Couro Preto/Castanho

Oficina de Costura Leopoldina

Tudo depende do tipo de calçado que tiver, se tiver maioritariamente calçado preto, então opte por um cinto preto. Um cinto é essencial para usar com fato e serve para ser usado com jeans ou com caquis para um ar mais composto. A fivela deve ser polida e o mais simples possível, tal como o couro. Agora a moda pede cintos mais largos e fivelas menos brilhantes e com detalhes no próprio couro

13. Gravata

Oficina de Costura Vila Leopoldina

Idealmente deve ter duas gravatas: uma mais fina de preferência preta para usar com um costume preto numa ocasião formal, e uma de riscas para usar no dia-a-dia. Mesmo que não use regularmente gravata, nunca deve de excluir este item do seu guarda-roupas, pois numa ocasião mais formal, uma gravata faz muito por si.

Em Breve a Oficina de Costura da Vila Leopoldina irá publicar novos posts.

 
Comentários (0)

channel 5

Publicado em 23/09/2016 às 16h42

O perfume mais famoso do mundo

 

 Nós da Oficina de Costura da Vila Leopoldina não falamos somente de roupa, hoje vamos conversar um pouco sobre um ícone de desejo de toda mulher o Chanel nº 5.

costura vila leopoldina

Qual de nós não quer surpreender o seu homem um aroma diferente, aquele que vai marcar essa noite especial para sempre.....aquele perfume que quando ele passar em frente a uma perfumaria no shopping vai se lembrar de você...sim porque jamais ele vai sentir esse perfume em outra mulher, porque depois desta noite ele não vai olhar para os lados kkkkk.

Vamos a história...o resto é Kennedy e Marylin......

Em 1921 Coco lançou para o mundo o que seria o perfume mais famosa o planeta Este foi criado pelo mestre perfumista de nacionalidade russa Ernest Beaux.

 

O nº 5 era totalmente diferente do que existia e expressava segundo Gabrielle a essência da mulher com suas notas exclusivas

Ao contrário dos outros aromas da época, que tinham na sua constituição um simples cheiro floral, o perfume de Chanel era extremamente complexo. Continha cerca de 80 ingredientes e ficou conhecido exatamente pelo seu misterioso odor.

Acho que vou um pouco aqui na Oficina de Costura Leopoldina rs

Mas nem só de cheiro é feito um perfume sua concepção de designe era inspirada nas linhas surrealistas de Dali e Cubistas, até mesmo de Pablo Picasso, extremamente minimalista como o artistas

 

Jamais houve um numero 1, 2, 3 ou 4 ....5 era o numero preferido de Gabrielle e o numero da amostra que ela mais gostou vinda do laboratório.

O Chanel Nº5 não é apenas um perfume, é um baú que contém emoções, imagens e palavras de análise ao comportamento da mulher.

Segundo Coco não basta ter dinheiro para comprar o perfume nº 5 é preciso personalidade para usa-lo, este é o perfume de um verdadeira Diva.

 

Tal como disse Marylin Monroe, entre sorrisos, para dormir usava .

 

Bom meninas nós costureiras da Oficina de Costura Leopoldina agradecemos pela leitura; boa noite e não se esqueçam das 2 gotinhas de Chanel nº 5 afinal amanhã é segunda e ele não pode olhar para os lados rs



Comentários (0)

O estilista Denner

Publicado por Ana Neri em 23/09/2016 às 16h38


costura e dener

A Oficina de Costura Leopoldina vai falar de um ídolo da costura e do estilo no Brasil, ousamos dizer que se compara aos maiores da Europa, já que ele reiventou a alta costura e um pais que copiava e jamais criava, estamos falando de

DENER PAMPLONA DE ABREU

 Ao abrir seu primeiro ateliê em São Paulo, Denner quebrou todos os tabus existentes na época cuja tendencia era copiar os modelos vindos da Europa, Denner criou uma moda voltada para a mulher brasileira com padrões brasileiros.

 Dener foi o grande percursor da alta-costura brasileira: fugia da comodidade do copismo, desenhando para clientes de acordo com seu físico, idade, gosto e em consonância com o nosso clima tropical.

Aqui vem uma parte que nos emociona muito na Oficina de Costura na Vila Leopoldina e que é motivo de acaloradas discussões...no bom sentido...entre nossas costureiras. Não é Lindaura?

 Como seu ídolo, Balenciaga, defendia o estilo clássico, de bases simples, embora nos modelos de festa e noiva recorresse a bordados suntuosos e a certa dramaticidade. Requinte a parte, realizava-se mesmo fazendo taieres bem cortados e com costura trabalhada por profissionais costureiras. Mesmo vivendo cercado de glamour, Dener demostrou ter visão também para o marketing e os negócios. Tanto que foi o primeiro estilista a usar a força da mídia para promover e divulgar seu nome e suas coleções através do trabalho de suas costureiras em sua Oficina de Costura em sue atelie. Com a mesma sensibilidade e inteligência, percebeu, nos anos 60, que era hora de lançar sua grife em produtos industrializados. Pálido, frágil, de gestos delicados e atitudes excêntricas, o costureiro despertou raiva e paixão. Dener, naquela displicente e bem dosada arrogância de retocador de Deus, embeleza as mulheres através da costura e enfurece os homens. Os homens, principalmente os recalcados, odeiam Dener e tudo o que o genial figurinista representava na frescura de sua masculinidade, escreveu o jornalista David Nasser. Quando o mundo começou a mudar, o dinheiro trocou de mãos e surgiu o noveau riche, sentiu os pilares da educação e elegância corretas que sempre defendeu, ruirem como castelos de areia.

 Foi um golpe duro. Considerado o último dos românticos, começou uma triste derrocada voluntária. Morreu jovem, empobrecido e triste.

 Identificando-se com a personagem de A Dama das Camélias, que tanto admirava, recusou-se a aceitar as regras de um mundo que fugia dos parâmetros que tinha estabelecido como ideais.

 Breve trajetória de um Mito da costura

 1937- Nasce no dia 3 de agosto em Belém do Pará.

 1948 - Inicia sua vida profissional na Casa Canadá, com apenas 13 anos.

 1950 - Faz o vestido de debutante de Danuza Leão, que o apresenta a Ruth Silveira com quem vai trabalhar.

 1957 - Com 21 anos, abre seu primeiro ateliê, na Praça da República.

 1958 - Muda o ateliê para a aristocrática Avenida Paulista. Veste clientes famosas, inclusive a primeira dama, Sara Kubitscheck.

 1959 - Ganha os prêmios de Agulha de Ouro e de Platina, no Festival da Moda, patrocinado pela Tecidos Matarasso Boussac.

 Entre os concorrentes figurava até o costureiro Christian Dior. Após a morte desse criador, Dener foi convidado para dirigir a criação da maison francesa. Por motivos incertos recusou a oferta. Imagine o orgulho para a costura e para as costureiras brasileira se ele aceitasse.

 1962 - Dener é responsável pelo guarda-roupa da primeira -dama Maria Teresa Goulart.

 1963 - Com o apoio da revista Manchete e Cia Brasileira de Tecidos Rhodiaceta e do Instituto Brasileiro do Café, Dener e outros estilistas lançam em conjunto a coleção Brazilian Look, com mais de cem modelos que foram apresentados na Europa.

 1964 - Recebe a Palma de Ouro, no Festival Internacional da Moda, em Las Vegas, com um vestido de cauda rebordade de águas marinhas naturais.

 1965 - Casa-se com uma de suas manequins, Maria Stela Splendore na época com 16 anos.

 1966 - Nasce seu filho Frederico Augusto Denner

 1967 - Nasce sua filha Maria Leopoldina

 1968 - É criada a empresa Dener Difusão Industrial de Moda. Fica oficializada a criação da primeira grife de moda nacional.

 1969 - Termina seu casamento com Maria Stela.

 1970 - É o fim dos anos áureos da alta-costura. Transfere seu ateliê para a Al. Jaú. Estréia como jurado do programa Flávio Cavalcanti.

 1971 - Transfere seu ateliê para a Al. Franca.

 1972 - Lança o livro autobiográfico Dener, o Luxo, e o manual Curso Básico de Corte e Costura. Uma "biblia" para a Oficina de Costura Leopoldina.

 1973 - Uni-se a outros costureiros para formar as bases da Associação da Moda Brasileira, cujo objetivo seria lutar contra a evasão de divisas.

 1975 - Casa-se com Vera Helena Pires de Oliveira Carvalho. Tranfere seu ateliê para R. Groelândia.

Dener

 1976 - Separa-se de Vera, desativa seu ateliê e atende em sua casa algumas clientes fiéis da alta-costura.

 1977- Vive tempos difíceis. Já doente, lança a coleção A Grande Valsa, inspirada no filme A Viúva Alegre.

 1978 - Desgostoso com os rumos da moda, optou pelo exílio voluntário. Morre no dia 09 de novembro em São Paulo aos 41 anos.

 

Frases de Dener que nós costureiras da Oficina de Costura na Vila Leopoldina amamos

dener e a costura

1. "Eu criei a moda brasileira, um estilo próprio, nosso, que fez com que as grandes senhoras do país não precisassem mais se vestir na Europa"

2. "Sou mais novo do que a minha importância e mais velho do que a minha aparência"

3. "A mulher chique fica bem com qualquer trapinho"

4. "A mulher elegante não é imitada porque aparece menos nas revistas (?), mas é quem lança a moda e faz os grandes costureiros e costureiras"

5. "A mulher-luxo é capaz de superar o próprio conceito de elegância (?), é modelo de vida e de comportamento, que não lança a moda, mas a consagra"

6. "Eu gosto de gente, mas acho multidão sempre cafona. Multidão só é boa quando aplaude"

7. "Mulher bonita sem dinheiro só serve para menequim"

8. "É muito difícil para um esteta do meu nível, que precisa estar rodeado de pessoas bonitas, viver bem casado"

9. "A mulher realmente refinada se veste para si mesma. Até quando faz a maior faxina, está sempre arrumada"

10. "A realização do artista só vem no fim, com a sensação da morte".

 Excentricidades de Dener Pamplona de Abreu,....Aqui na nossa Oficina de Costura na Vila Leopoldina nossas costureiras, e muito especialmente eu Ana  acreditamos que um verdadeiro artista da costura tem direito a suas pequenas excentricidades.

Pessoal, social e profissionalmente, a vida de Dener é pontuada de excentricidades. Para receber o milionário playboy alemão Gunter Sachs a pedido de Caio Alcântara Machado, Dener vestiu suas copeiras com roupas de baiana, decorou sua casa noPacaembu com as cores brasileiras e imaginou uma gaiola com pássaros exóticossobre cada mesa. Como não os encontrou, comprou pombas e resolveu pintá-las e enfeitá-las. Tinha até pomba com pena de faisão. Só que no meio da festa, as pombas caiam estateladas, intoxicadas pela tinta em suas penas. Felizmente, graças à rebuscada decoração das gaiolas, os convidados não perceberam o desastre.

Para participar da encenação da Paixão de Cristo na tradicional festa de Nova Jerusalém (PE), Dener preparou um modelo de marajá de cetim azul, com turbante de seda branca adornado por uma imensa esmeralda. Carregado por escravos, sua fala era breve: “Herodes, sua festa é um luuuxo”. E a multidão de 50 mil pessoas foi ao delírio.

Entre uma declaração bombástica e uma festa badalada, Dener gostava de imergir na banheira com água quente e bicarbonato de sódio (para “regular seu metabolismo”) e, em seguida, trocava a água por litros de leite (para “dar viço à pele”). Suas olheiras eram valorizadas com uma boa camada de vaselina. O cabelo era minuciosamente despenteado. Os lençóis de linho irlandês eram trocados diariamente. Os colarinhos sociais tinham 9 cm de altura (“Não dá nem para mexer o pescoço, mas não importa porque só gosto de olhar as coisas de frente”).

Enfim Dener era acima de tudo um criador, um genio, um excentrico mas que mudou o jeito da mulher brasileira se vestir e e encarar a moda; existe um periodo antes e depois de Dener....Antes um Lixo, Depois um Luuuuxo como ele mesmo gostava de dizer. 

Essa é a parte triste do artista que muitas vezes ve seu trabalho, muitas vezes feito a custo de suor, desprezado e esquecido;no caso de Dener desvalorizado uma uma pret-a-porte sem nenhum brilho a partir do inicio dos 70

Infelizmente morreu amargurado, empobrecido e foi enterrado no túmulo da colunista Alik Kostaki

Nós da Oficina de Costura Leopoldina prestamos, através deste post, nossa homenagem a este estilista que iniciou o conceito de moda e alta costura no Brasil e a todas as costureiras que estiverem lendo este post.... Tenham orgulho de estar atrás desta máquina, com esta agulha e dedal na mão ou modelando uma peça, voces são as herdeiras de um genio.

Obrigado Dener Pamplona de Abreu, onde voce estiver....beijos Ana

Comentários (0)

Curiosidades sobre Moda e Costura

Publicado por Oficina de Costura Leopoldina em 23/09/2016 às 16h34

Existem certas coisas no mundo da moda que não tem explicação, neste post da Oficina de Costura Leopoldina vamos tentar explicar alguns desses fatos. A Oficina de Costura está localizada na Rua Guaipá, 1078 na Vila Leopoldina e conta com excelentes costureiras com experiência na costura, reforma e customização de roupas. 

1. Porque as noivas usam vestidos brancos

costureira Vila Leopoldina

A moda começou com Napoleão e Josefina; na época da coroação de Napoleão ambos madaram fazer roupas brancos bordadas com fios de ouro significando a pureza e a iluminação, alem de honestidade e limpeza. O próprio papa foi chamado para a coroação e foi neste momento que o casal confessou que não era casado, o Papa ficou chocado com a afirmação e realizou a união formal dos dois antes da coroação; com os dois vestidos de branco, e a moda pegou, antes disso as pessoas se casavam com roupas de qualquer cor....Se não tivesse acontecido isso hoje em dia ia valer até jeans.

2. De onde apareceram as alianças e o buque de noiva

costura na Vila Leopoldina

Na idade media acreditava-se que havia uma veia que ligava o dedo anelar esquerdo ao coração, por isso o anel era colocado neste dedo. O buque segurado na posição do ventre significa fertilidade.

3.Porque os pijamas tem um bolso na camisa do lado esquerdo

costureira Vila Leopoldina

Pijama que significa morte diária era usada pelos faraós quando eles morriam, portanto esta peça nasceu a 6.000 anos. Apos vestido com o pijama um escaravelho era colocado no bolso do pijama; naquele período o escaravelho tinha tanto a simbolismo de morte como de renascimento.

Oficina de Costura Leopoldina e suas costureiras também são especialistas na reforma, conserto e costura de pijamas.

4. E a moda das mulheres usarem calças.

costureira Vila Leopoldina

Uma das primeiras mulheres a utilizar calças foi a atriz Marlene Dietrich nos anos 20 para facilitar a montaria em cavalos até esta época poucas mulheres ousavam utilizar calças.

5. Onde surgiu o bikini

costureira Vila Leopoldina

Nos anos 40 os Estados Unidos realizaram testes atômicos no Atol de Bikini no Pacífico, os preparativos para a explosão causou grande interesse e alvoroço. Nesta mesma época o estilista Frances Louis Réard lançava uma peça de roupa explosiva o escassissimo maio de duas peças; o produto era tão ousado que nenhum profissional de moda quis desfilar com a peça, para isso ele teve que contratar Michelle Bernardini, stripper do Casino de Paris.

6. Como uma tenda virou Jeans.

costureira Vila Leopoldina

O Alemão Levi Strauss chegou aos Estados Unidos trazendo na bagagem um tecido grosso e escuro excelente para fazer barracas. Logo ele percebeu que os mineiros precisavam de calças com tecidos resistentes para agüentar o tranco do dia a dia do trabalho nas minas. Levi Strauss pegou o seu tecido usou um molde de uma calça de marinheiro e surgiu a primeira calça Levi’s. Em 1856 ele inaugurou a primeira fábrica Levi Strauss & CO. Uma das especialidades da Oficina de Costura Leopoldina e de suas costureiras são as barras de calça, desde a clássica barra feita a mão até a sobreposta e a barra original.

7. Como surgiu o salto Anabella.

 costureira Vila Leopoldina

Salvatore Ferragamo criou o famoso salto em 1936 era época de pré guerra e os materiais eram escassos Ferragamo utilizou rolhas velhas de vinho para produzir o salto e assim criou-se um clássico.

8. O channel numero 5

costureira Vila Leopoldina

E onde estão os números 1,2,3 e 4. Na verdade nunca existiram. O numero 5 era o numero da sorte da estilista Coco Chanel, por essa razão o perfume foi apresentado dia 5 de maio (mês 5) de 1921.

9. De onde surgiu o nome “Liberty”para as esta florais miudinhas.

costureira Vila Leopoldina

Foi criada em 1875 por Arthur Lasenby Liberty na Inglaterra, ela recebeu este nome em referencia a Liberty of London marca criada por Arthur.

Desde então a estampa bucólica com flores miúdas estampadas em seda, algodão e cashmere e repetidas tornou-se um clássico.

10. Como surgiu o brechó.

 costura Vila Leopoldina

O nome foi dado inspirado por um velho comerciante estabelecido no Rio de Janeiro no final do século XIX. O lugar era chamado de Casa de Belchior onde se vendia e comprava roupas usada.

Nós da Oficina de Costura Leopoldina e nossas costureiras ficamos muito felizes em poder mostrar em nossos posts curiosidade e novidades para nossas clientes. E lembre-se precisando de reforma, costura ou customização de roupas venha até nossa Oficina de Costura na Rua Guaipá, 1078 – Vila Leopoldina.

 

 
Comentários (0)

Qual o vestido ideal para casamentos

Publicado por Oficina de Costura Leopoldina em 23/09/2016 às 16h12

 Oficina de Costura da Vila Leopoldina é especializada na coserto, reforma e customização de roupas; também fazemos barras em vestidos de festas com perfeição e muito carinho. Venha nos conhecer na Rua Guaipá, 1078 na Vila Leopoldina

Casamento  Diurno

oficina de costura Vila Leopoldina

Se o casamento for durante o dia opte pelas cores mais claras, comprimentos mais curtos ou midi e estampas coloridas que estão em alta. Se a cerimonia for em um local aberto e durante o dia invista em cores alegres como olaranja e o amarelo, use estampas mas sem exageros, lembre-se voce não pode chamar mais atenção do que noiva. Nessa mesma linha estão os looks mais leves, com modelagem suave e soltinha, escolha sempre modelagens mais fluidas e tecidos leves como musseline ou georgette. Bordados somente com acabamento fosco para não exagerar. Mas lembre-se voce está indo a uma festa e o visual não pode ser muito informal, mesmo que seja uma festa durante o dia em local aberto é um evento formal. Nada de exageros nos acessórios se o vestido tiver muita cor acessórios leves, se o vestido for mais simples ouse um pouquinho mais nos acessórios, o importante é saber equilibrar todos os elementos. Na Vila Leopoldina existem várias lojas especializadas neste tipo de vestido.

 

Casamento Noturno

Oficina de Costura Vila Leopoldina

A noite voce pode ousar um pouco mais, mas lembre-se de não ousar mais que a noiva. Não use todos os elementos emu ma só produção. O vestido deve estar em sintonia com a personalidade da pessoa, existem pessoas que amam brilho, existem outras que prferem um estilo mais simples. Decotes e cavas mais profundas nas costas estão liberados,…mas não na mesma produção. As cores escuras estão liberadas e para equilibrar use um tom de maquiagem mais suave.

O importante eé sentir-se confortável, pois além de elegante voce deve se sentir em sintonia com o que está vestindo. Mantenha o seu estilo, não tente ousar demais e usar algo que não esteja acostumada. O casamento não é um momento para exageros, mas para uma elegancia discreta, e lembre-se menos é sempre mais em todas as ocasiões.

Tanto para os vestidos mais simples ou mais sofisticados a Oficina de Costura da Vila Leopoldina pode oferecer um serviço especializado na barra, ajustes e até mesmo customização destas peças, introduzindo ou retirando detalhes de acordo com as especificações do cliente. 

 
Comentários (0)

O biquini certo para o seu corpo

Publicado por Oficina de Costura Loepoldina em 23/09/2016 às 15h59

Oficina de Costura Leopoldina neste post fala sobre os tipo de biquini ideal para cada tipo de corpo. Nós da Oficina de Costura estamos preparados para customizar seu biquini de acordo com sua vontade  ou idéia. Venha conhecer nosso espaço, conhecer nossas costureiras e ver a qualidade de nossa costura.

Se voce tem barriguinha e pneuzinho use calcinhas com as laterais mais largas pois elas não marcam esta parte do corpo, aposte também no botton mais alto com faixas no cós ou dobraduras, as cores devem ser escuras, listras verticais ou estampas miudas. Nunca use peças com um numero menor que o seu, e jamais peças com tirinhas muito finas que apertam demais.

costura vila leopoldina

Se voce tem seios grandes a palavra é sustentação, portanto o modelo ideal deve ter bojo (sem enchimento) e meia taça, os tops devem ter alças largas; combine uma parte de cima discreta com a parte de baixo mais chamativa, isso desvia o olhar. Jamais use tomara que caia ou cortininha, eles deixam os seios escapando e voce vai acabar pagando mico depois do mergulho. 

costureira vila leopoldina

Se voce tem pouco seio use top com bojo drapeado e torcidos, detalhes(laços e bordados) são bem vindos, babados também podem participar da brincadeira, ouse nas estampas e cores (vivas) com desenhos grandes e coloridos para criar a sensação de volume nos seios; Deixe a cortininha bem franzida para dar impressão de mais volume. Nunca use tops com alça larga e tomara que cai retos, dão a impressão de seios ainda menores.

costura vila leopoldina

Na Oficina de Costura Leopoldina podemos fazer trabalhos customizados tornando seu biquini ideal para seu tipo de corpo, qualquer peça pode ser modificada através de nossas costureiras e de suas costuras.

Se voce tem quadril largo aposte em modelos com calcinhas mais largas ou com regulagem nas laterais que não marcam, calcinhas de cores escuras e tops estampados, ou com detalhes como babados que desviam a atenção para a parte de cima do corpo.

costureira vila leopoldina

Se quiser um modelo de amarrar do lado dê um nó e deixe as pontas caidas, não de laços que aumenta o quadril. Evite calcinhas pequenas que aumentam visualmente muito o quadril.

Se voce tem bumbum pequeno use calcinhas com babados e estampas grandes e coloridas, listras horizontais são altamente recomendadas abuse de detalhes como laços, ziperes e bordados, se voce estiver em forma aposte nos laciinhos fininhos que dão volume a região; calcinhas mais cavadas dão a impressão de que o bumbum é maior. Evite cores escuras e estampas miudas na calcinha.

costura vila leopoldina

Se voce tem flacidez invista em maiôs. São ótimos para curtir uma praia sem encanação.

costura vila leopoldina

Se voce tem cintura reta use biquinis com as laterais mais altas formando um V. Isso cria a ilusão de que o tronco é mais acinturado.

costura vila leopoldina

Se voce tem ombros estreitos use tops tipo frente única, com amarração e detalhes como estampas grandes e bordados poise les dão a ilusão de volume nesta parte do corpo. Evite tomara que caia.

costureira vila leopoldina

Se voce tem ombros largos use tops com alça larga e de destaque a parte de baixo: calcinhas com lacinhos nas laterais de cores vivas equilibram a silhueta.

costura vila leopoldina

Na Oficina de Costura Leopoldina conseguimos fazer todo tipo de reforma, costura ou conserto nas suas roupas para diferencia-las do que existe por ai. Nossas costureiras são experientes e tem expertize nesta área. Venha tomar um café conosco e conhecer nosso espaço.

 

 

 
Comentários (0)

Costureiras da Vila Leopoldina e as Rendeiras

Publicado por Ana Neri em 23/09/2016 às 15h56

Oficina de Costura Leopoldina posta um pouco desta secular arte; a das mulheres rendeiras. Aqui no Brasil elas se popularizaram no Norte e no Nordeste levando dai esta tradição para todos os estados do Brasil. Minha Bisavó e minha Avó foram rendeiras e por isso resolvi falar neste blog sobre esta grande arte....Abeçoada é a profissão que se faz entoando versos e cantigas.

rendeira e costureira

A Origem:

Surgiu nos fins da idade média, sobretudo na França, Itália, Inglaterra e Alemanha. A renda chegou ao Brasil no século XVIII, através das famílias portuguesas colonizadoras, um oficio praticado  pelas moças de fino trato  foi resignificado pelo povo brasileiro.

As renderiras do século passado forma as precursoras das costureiras e da costura atual....A elas a homenagem da Oficina de Costura Vila Leopoldina.

Há uma lenda sobre sua origem que diz: que “um jovem pescador usando pela primeira vez uma rede de pescar tecida pela sua noiva, apanhou do fundo do mar uma belíssima alga petrificada, que ofereceu à sua eleita. Tempos depois, partiu para a guerra. A noiva, saudosa e com pensamento voltado para o ausente, um dia, teceu outra rede que reproduziu o modelo da alga; os fios dessa rede eram terminados por pequenos chumbos. Assim foi descoberta a renda chamada “a piombiini” ou de chumbos; os chumbos foram posteriormente substituídos por bilros. Dessa forma, de um pensamento amoroso teria surgido a renda de bilros.” 

“Olê muié rendeira, oie Mulé rendá…”

A mulher rendeira faz parte do imaginário popular brasileiro e é, desde muito, transmissora de um conhecimento que, mesmo não fazendo parte do que se considera educação formal, ela existe e tem sua importância social. Este conhecimento permeia a história de muitas famílias de mulheres que ainda tentam transmiti-lo para as novas gerações. Daí a necessidade de entendimento de um cotidiano que, além de tradicional, alinha-se e se insere às necessidades do mundo de mercado sendo, ao mesmo tempo, trabalho de mulheres e modo de produção de riqueza. 

O ofício de rendeira proporciona uma viagem ao imaginário feminino são mulheres que tecem o dia a dia com finos fios. A força que emana da tradição de tramar as linhas é real. E o fio que conecta essas mulheres, entre gerações de uma mesma família, é que parece torná-las o que são: mulheres que lutam bravamente e que, ao mesmo tempo, desempenham um ofício minucioso e delicado. Com paciência e maestria seguem fazendo a renda da mesma forma que outras muitas gerações de mulheres de sua família já faziam, mas revisitam e atualizam as formas e os pontos que fazem hoje. De modo que estão, ao mesmo tempo, com um pé no passado e outro no presente.

Algumas rendeiras trabalham em grupo; conversam, cantam, fumam. “Quando você está na almofada, menino chora, panela queima, marido briga, você se esquece do mundo.” Ela vira o rosto e se concentra para terminar mais um ponto.

“Bendito seja o trabalho que se faz cantando!…”, entre as trovas que as moças trabalhadeiras de 20 a 60 anos entoam:

Tiro renda e boto renda,

Faço renda na almofada.

Por causa do meu benzinho

Não faço renda nem nada…

Estou fazendo esta renda

Pra buscá dinheiro,

Pra comprá um par de pente

Pra botá no meu cabelo.

Esta almofada me mata,

Estes bilros me consome,

Os alfinetes me espetam,

A renda me tira a fome.

O Ofício da Renda Irlandesa confeccionada em Sergipe se tornou Patrimônio Imaterial e tem seu registro nos saberes da humanidade.

O modo de fazer Renda Irlandesa se constitui de saberes tradicionais que foram ressignificados pelas rendeiras do interior sergipano a partir de fazeres seculares, que remontam à Europa do século XVII, e são associados à própria condição feminina na sociedade brasileira, desde o período colonial até a atualidade. Trata-se de uma renda de agulha que tem como suporte o lacê, cordão brilhoso que, preso a um debuxo ou risco de desenho sinuoso, deixa espaços vazios a serem preenchidos pelos pontos. Estes pontos são bordados compondo a trama da renda com motivos tradicionais e ícones da cultura brasileira, criados e recriados pelas rendeira.

O “saber-fazer” é a qualidade mais característica da produção da Renda Irlandesa, a qual é compartilhada pelas rendeiras sob a liderança de uma mestra reconhecida pelo grupo. As mestras traçam o risco definidor da peça, que é apropriado coletivamente. Fazer Renda Irlandesa é, portanto, uma atividade realizada em conjunto, o que permite conversar, trocar idéias sobre projetos, técnicas e pontos. Neste universo de sociabilidades, são reafirmados sentimentos de pertença e de identidade cultural, possibilitando a transmissão da técnica e o compartilhamento de saberes, valores e sentidos específicos.

A cidade de Divina Pastora se tornou o principal pólo da Renda Irlandesa em razão de condições históricas de produção vinculadas à tradição dos engenhos canavieiros, à abolição da escravatura e às mudanças econômicas que culminaram na apropriação popular do ofício de rendeira, restrito originalmente à aristocracia. Reinventando a técnica, os usos e os sentidos desse saber-fazer, as mulheres de Divina Pastora fizeram dele seu meio de vida.

A Pedagogia do saber das costureiras

Uma rendeira, que em seu trabalho tece habilidosamente peças extraordinárias, passando de geração em geração um ofício e uma arte, verificamos que, apesar de leiga, do ponto de vista da pedagogia e da ciência, essa “mestra” cumpre de modo brilhante, com eficiência e eficácia os objetivos a que se propõe: produzir e ensinar o que produz, perpetuando a existência do oficio.

Curioso é pensar que nas universidades e centros de profissionalização, apesar de todo o acesso à ciência e tecnologia, muitas vezes os mestres que lá trabalham não conseguem atingir esses mesmos objetivos básicos. Em muitos desses centros nem se produz um saber, nem se ensina a produzir esse mesmo saber. O máximo que se consegue é “formar” profissionais muitas vezes medíocres que vão se encarregar de perpetuar a reprodução de um saber igualmente medíocre, mantendo o estado de coisas que vem nos conduzindo ao caos social, econômico e cultural.

Imagine se na Oficina de Costura Leopoldina, além das nossas costureiras nós tivessemos uma rendeira, somente para nossas peças de costura....que luxo

As diversas  RENDAS:

Há duas categorias de rendas: uma produzida com o auxílio de bilros. Outra é confeccionada com o uso de agulhas, como é o caso da renda renascença, o filé e o labirinto. Em outros casos, há agulhas especiais, como para produzir crochê e tricô. Tanto a renascença como a renda de bilro é produzida em cima de almofadas.

  • Filé (Salgado de São Félix, Paraíba)

costura e costureiras

Esta técnica milenar encontra-se difundida sobretudo nos estados de Alagoas e Ceará. O filé surge a partir de uma rede simples, composta de malhas e de nós, e por isso é também denominado “rede de nó”, seguindo a técnica de confecção da rede de pescador, que lhe serve de inspiração.

  • Renascença (Jataúba, Pernambuco)

 

A renda renascença é uma técnica têxtil que teve sua origem na ilha de Burano, em Veneza, Itália, no século XVI. É confeccionada com agulha, linha e lacê de algodão. Em uma primeira etapa, faz-se o desenho sobre papel, que é preso sobre a almofada. O lacê é então afixado sobre o papel com a ajuda de alfinetes e entremeado pelos diferentes pontos da renda

Cada ponto é nominado segundo elementos da natureza, comidas, ou expressam na renda sentimentos e esperanças de quem os criou: aranha, abacaxi, traça, cocada, xerém, amor seguro, laço, sianinha, malha e amarrado.

  • Irlandesa (Divina Pastora, Sergipe)

oficina de costura leopoldina

A renda irlandesa, ou ponto de Irlanda, surgiu na Europa, possivelmente no norte da Itália, em torno dos séculos XVI ou XVII. Sua tradição foi mantida nos conventos da Irlanda, de onde se difundiu para diversas partes do mundo. No Brasil, este tipo de renda é executado há várias gerações pelas artesãs sergipanas de Divina Pastora, fazendo parte do seu patrimônio cultural. Caracteriza-se pelo uso de lacê, um cordão sedoso o que a diferencia da renda renascença. É elaborada com linha e agulha que, seguindo o roteiro de desenhos feitos em papel grosso e que é preso em almofada, perpassam os meandros e os florões delineados com o lacê, formando assim uma variada combinação de pontos.

  • Labirinto (Ingá, Chá dos Pereira, João Pessoa, Serra Redonda, Juarez Távora – Paraíba)

costureira e costura

O labirinto (ou crivo) é um tipo de renda de agulha e tem como caracteristica o fio desfiado preliminarmente, o qual é tecido com linha, seguindo os desenhos estabelecidos. O processo de feitura possui 6 etapas: escolher o tecido e tirar a metragem; riscar o desenho; desfiar o tecido; fazer o enchimento; torcer e perfilar.

  • Renda de Bilro

bilro e a costureira

Diversos são os “pontos” preparados: abacaxi, folha em renda, cocadinha, não-me-deixe, mata-fome, quadro, margarida, coração, palma, ziguezague, trocado, trança, trocadinho, matachim, aranha, meus olhos, escadinha de Cupido etc. etc. etc.

Instrumento das rendeiras, os Bilros 

A renda de bilros é feita sobre uma almofada com enchimento de crina, serragem ou algodão; tal amofada é em geral recoberta de tecido cujas cores não agridam a vista. A almofada pode ser presa num suporte de madeira, mas há rendeiras que simplesmente a apóiam numa cadeira ou banquinho. A almofada é a base sobre a qual se executam as rendas e nela se prende o cartão com o esquema em cima do qual irão se trançando os bilros, ‘a medida que se prendem os compassos com alfinetes. Os bilros são uma espécie de haste de madeira provida de uma cabecinha numa das extremidades. Sobre ela enrola-se a linha para fazer a renda. Os bilros são sempre utilizados aos pares.

A imagem das mãos calejadas de mulheres sertanejas quase sempre nos remete ao trabalho árduo do campo, à luta diária para vencer as dificuldades da seca, recorrente no semi-árido nordestino. Mas no livro  elas nos levam a descobrir outro tipo de a trabalho, também extenuante, mas prazeroso para muitas mulheres do Cariri paraibano, que é o da arte de fazer renda.

Oficina de Costura Vila Leopoldina agradece a estas profissionais pelo trabalho maravilhoso que elas realizam abrilhantando os modelos mais sofisticados da moda brasileira.

 

 
Comentários (0)

A Boneca Barbie

Publicado por Ana Neri em 23/09/2016 às 15h47

Antes de tudo a Oficina de Costura Leopoldina, suas costureiras e seus parceiros desejam a todos os seus clientes um Feliz 2014 e que possamos passar mais um ano de alegrias e felicidades juntos. Bem...vamos iniciar este ano contando a história da boneca mais famosa do mundo e que todas as meninas tiveram ou desejaram ter, qual de nós não fez uma costura imaginária ou em alguns casos real em uma roupa da boneca Barbie. Acredito que todas as mulheres aqui da Vila Leopoldina já tiveram sua boneca Barbie predileta.

costureiras e barbie

Barbie é a boneca de brinquedo mais famosa e vendida no mundo. Ela apareceu para o mundo em nove de março de 1959 na Feira Internacional Americana de brinquedos. Ela foi criada por Ruth Hadler esposa de Elliot Hadler, um dos fundadores da empresa de brinquedos Mattel..

Nos anos 50, Ruth Hadler se deu conta que sua filha – Barbara – preferia jogar com bonecas com características adultas, em vez das infantis. Nesta época a grande maioria das bonecas que se fabricava tinha características infantis; ao perceber u possível negócio, decidiu propor-lo ao seu esposo que não via a idéia com bons olhos.

costura e barbie

Eliot então em uma de suas viagens a Alemanha descobriu uma boneca em um antiquaria chamada Lilli, era uma boneca inspirada em uma mulher adulta, sociável, que sabia o que queria e não tinha dúvidas em usar os homens para consegui-lo. A boneca em questão começou sendo vendida a homens, passando a ser vendida a meninas devido a sua grande popularidade, que adoravam vesti-la e trocar suas roupas. Lili chegou a ser tão popular que ultrapassou as fronteiras Alemãs e alcançou os Estados Unidos.

Quando aconteceu isto a Mattel, depois de haver rechaçado a idéia anterior de Ruth, comprou os direitos de Lilli. Após isto a primeira providencia foi mudar sua imagem criando um novo corpo e um novo nome; Barbie em homenagem a filha de Ruth, Barbara. Quando estava tudo perfeito nasceu Barbie em nove de março de 1959 e esta data é a data oficial de aniversário da boneca.

No seu nascimento Barbie tinha um penteado loiro muito anos 60 com um maio estampado com pele de zebra. Ao passar dos anos os modelos forma se atualizando assim como a cor dos cabelos e suas formas. A boneca se transformou em uma jovem apaixonada pela moda.

costura na barbie

No mundo atual Barbie deixou de ser uma simples boneca para se tornar um ícone da moda, e motivo de inspiração de muitas peças de costura e costureiras. A boneca Barbie tornou-se mais do que um simples produto, tornou-se uma marca e hoje não vende somente bonecas, mas uma grande quantidade de mercadorias baseadas na boneca, que são de suma importância para a Mattel. Entre estes produtos podemos encontrar roupas para meninas, jóias, relógios, bicicletas para meninas, filmes, acessórios de decoração, uma enorme lista que faz com que a Barbie seja a boneca mais vendida em todo mundo.

costura de noiva

Como todo produto com êxito, Barbie tentou ser imitada por várias empresas até o ano de 2001 quando a empresa MGA criou a boneca Bratz com uma personalidade diferente da Barbie, outra cor de cabelo e outra forma de se vestir. A Mattel não pode contra a boneca Bratz e o mercado da Barbie não podia se ampliar muito; por isso em meados de 2002 a Mattel lançou a linha My Scene um grupo de bonecas maior mas que representavam uma idade menor da Barbie original. Foram criadas cinco bonecas diferentes com uma roupa mais voltada para moda, baseadas em sair para festas, ir às compras e usando roupas que qualquer menina poderia usar.

Em 2007 novamente foram feitas modificações, a estatura diminuiu, os olhos de tornaram semi-rígidos, o pescoço foi encurtado e os pés forma adaptados para o uso de sapatos.

O Namorado

Seu namorado sempre foi Ken, ele aparecia com os cabelos castanhos, loiros ou negros; em 2005 a empresa Mattel resolveu por um fim ao relacionamento dos dois personagens e transformou os dois em amigos. Em 2007 lançou-se a Barbie noiva onde ela se casa com um namorado lindo. Em outro momento também saiu a venda da Barbie grávida que tinha um esposo que nunca foi declarado ser Ken, logo após isso a Mattel declarou em Nova York que Barbie tinha um novo companheiro, um surfista australiano batizado de Blaine. Barbie tem ainda uma irmã mais nova Skipper que é comprada pelas meninas mais novas.

costura do brasil

Bem amigas esta é a história da boneca mais famosa do mundo. E nossas costureiras da Oficina de Costura Leopoldina já tiveram o prazer de fazer peças para esta pequena estrela do mundo das bonecas, afinal o privilégio da costura não é somente da vida real, a imaginação vale muito neste meio tão atual e atualizado que é a moda.

 

 
Comentários (0)

moda outono inverno 2014

Publicado por Ana Neri em 23/09/2016 às 15h30

Oficina de Costura Leopoldina e suas costureiras vão falar um pouco agora sobre as tendencias do Outono Inverno 2014 e o mais importante vamos provar que reciclar suas roupas não é nenhum pecado; e mais reciclar as roupas do verão para o inverno e não somente do inverno passado para este. Amigas nos vivemos em um país tropical. Quantos dias de inverno nós tivemos no inverno passado....2 semanas, 3 semanas, 1 mês no máximo. Vamos usar nossa criatividade misturando o verão /13 com o inverno/14. Isso já é feito a anos na Europa e agora com a crise que bandeia por lá está cada vez mais em alta. A Oficina de Costura Leopoldina pode ajuda-las muito nisso.

Existem algumas tendências que se repetem na nova temporada. Começando com algumas das cores da moda, como branco, rosa pastel ou preto. O conjunto Black & White também aparecem forte neste outono/inverno e estampas de animal, listras, bolinhas ou imagens vão voltar a estampas da moda, assim será mais fácil de reciclar suas roupas favoritas. Que roupa reciclar? Evidentemente, os biquínis e maiôs não servem para o outono-inverno 2014, mas as, calças, vestidos e até mesmo alguns shorts. em alguns momentos voce poderá combinar algumas roupas de verão com outras mais abrigados, principalmente neste nosso delicioso clima tropical

Uma maneira fácil para saber qual a mistura de cores quando se vestir é misturar 2 cores neutras com uma cor pura, por isso não podemos cometer erros quando se trata de mistura de cores .

 

Circulo Cromático para mistura de cores.

 

* As cores neutras : branco, preto e cinza .

* Cores Puras : básicos ( inteiros , azul , vermelho amarelo ) cores.

 Alguns exemplos de combinar roupas com cores já misturados:

Como combinar suas roupas CORES

Outra opção é escolher duas cores e um neutro , por isso escolha duas cores da roda de cores acima e misturá-lo com uma cor neutra , com este mecanismo quando você descobrir as misturas de cores ideias use sempre uma cor neutra que pode ser o preto ou o brancom.

 Outras cores podem ser combinados com este método por exemplo ; verde e roxo, laranja com roxo, azul e verde, azul e violeta ou laranja com uma violeta avermelhada.

 Assim que decidir ver qual a cor que você usará  não se esqueça de adicionar sempre uma cor neutra ..

E aqui alumas fotos da nossa modelo exclusiva da Oficina de Costura Leopoldina com sugestões para este nosso delicioso inverninho,... dá até uma preguicinha de sair da cama né..

Uva a cor deste inverno

 

Bem Brasil

 

Costura Vila Leopoldina

Black´nWhite para sempre na moda, uma blusinha por cima e venha inverno

costura Vila Leopoldina

Uma pele morena e o nosso clima pede cores vivas veja no circulo cromático como combinar e deixar o look inverninho Brasil...Vale até o verde..só durante os jogos daqueles 11 lindos.

costura Vila Leopoldina

 

Um pouco de sensualidade não faz mal a nenhum e daqui de cima São Paulo continua linda. Mas Lembre-se a Oficina de Costura Leopoldina fica na Vila Leopoldina. A Nossa vila que é só charme.

 Agora estamos também no instagran na Oficina de Costura Leopoldina

 

 
Comentários (0)

left show fwR|left tsN uppercase fwB|left show fwB fsN uppercase|bnull|||news fwB tsN fwR tsY c05|normalcase fwR c15 fsI|b01 c05 bsd|login news c10|tsN normalcase fwR fsI c15 b01 bsd|b01 normalcase bsd c05|content-inner||